Raoul Dufy- O Pintor da Vida Moderna

 

 

Régattes aux Mouettes ( Regatas com gaivotas) c.1930 OST 81x100 cm

Régattes aux Mouettes ( Regatas com gaivotas) c.1930 OST 81×100 cm

 

Graças à parceria do Museu de Arte Moderna de Paris com o Museu de Arte Moderna de São Paulo, foi possível a realização desta magnífica mostra em 1999,  no MAM de São Paulo, sobre o pintor francês  Raoul Dufy (1877-1953).

 

Bouquet de fleurs

Bouquet de fleurs

 

Ceramista, gravador, desenhista, ilustrador e colorista francês nascido em Le Havre, onde iniciou a formação artística como impressionista mas, sob a influência de Matisse, evoluiu gradativamente e se destacou como um dos expoentes do fauvismo. Ganhou uma bolsa para estudar na Escola Nacional de Belas-Artes, em Paris (1900) e, no ano seguinte, expôs a obra ” Fin de journée au Havre” no Salão dos Independentes.

 Ao fim da Primeira Guerra Mundial, após breve fase cubista, desenvolveu um estilo pessoal, tendo como temas preferidos as paisagens urbanas, regatas, marinhas e corridas de cavalo. Uma de suas obras mais divulgadas foi o enorme Mural “Histoire de l’életricité à travers les âges”, exibido no Pavilhão da Eletricidade da Exposição Internacional de Paris (1937). Recebeu o Prêmio de Pintura da Bienal de Veneza (1952) e morreu em Forcalquier, a 23 de março, um ano depois.

 

dufy arlequin

L’ Arlequin (Arlequim) Óleo sobre tela 73×50 (assinado em cima, à esquerda)

 

Aquarela de paisagem

Aquarela de paisagem

 

 

 

Do acervo de 103 peças de Dufy no MAM de Paris, foram escolhidos pela curadora francesa, Dominique Gagneux, 32 óleos sobre tela e 24 outras obras em técnicas diversas, especialmente aquarelas. A seleção contempla todas as influências que construíram a singularidade do artista, que abordou temas festivos e paisagens exuberantes, empregando quase sempre cores brilhantes e uma pincelada dita “leve”. Dufy promoveu, ainda, certo descolamento entre figuras e fundo, de efeito feérico.
Por tudo isso, chegou a ser chamado de “o artista da alegria” ou de “pintor da vida moderna”. Contemplado por avalanches de encomendas, Dufy produziu grande quantidade de ilustrações, notadamente estamparia para a indústria têxtil.

 

 

Maisons à Trouville 1933 OST 50x73 cm

Maisons à Trouville 1933 OST 50×73 cm

 

 

 

 

A obra-mestra do artista reúne magnificamente  os principais temas por ele abordados. “La Fée Éléctricité” ou “Fada Eletricidade”  foi executada em 1937-8  para a Exposição Internacional de Artes e Técnicas – estudo preparatório para a Decoração da Sala do Musée D’Art Moderne de Paris ( ost 110×600 cm).

Vincent-Ganivet-2009

 

 

Esquema detalhado "La fée electricité" (Fada Eletricidade)

Esquema detalhado “La fée electricité” (Fada Eletricidade)

 

 

La Fée Electricité

La Fée Electricité

 

 

O ano de 1937 marcou uma guinada na constituição das coleções de Arte Moderna em Paris, com o fim da construção do Palácio de Toquio para a Exposição Internacional, um dos raros edifícios destinados a sobreviver a essa manifestação para abrigar dois Museus de Arte Moderna, o do Estado francês e o da Cidade de Paris, que alocou consideráveis fundos com os quais foram adquiridas as obras mais importantes da coleção histórica do futuro Museu, como por exemplo o “Nu dans le bain” de Bonnard, “L’Équipe de Cardiff” de Delaunay, “La Danse” de Matisse.

Depois disso foi preciso esperar os anos cinquenta para que as Coleções Municipais se enriquecessem com novas obras de Raul Dufy. A maioria das obras mais recentes, vieram de Coleções Particulares.

O sucesso de Dufy entre os Colecionadores de Arte, foi enorme graças  aos temas e cores usados majestosamente pelo Artista da Vida Moderna.

 

 

La Baie des Anges

La Baie des Anges

 

 

Fêtes nautiques au Havre 1

Fêtes nautiques au Havre 1

 

 

Voiliers dans le Port du Havre  1925

Voiliers dans le Port du Havre 1925

(Visited 968 times, 1 visits today)
Tags: , , , , , , , , ,
0