Agapornis ou Love Birds, uma crônica do Amor crônico.

agapornis bolo

 

Hoje, eu vou invadir nossa Sala de Visitas para convidados da Agenda, porque preciso prosear, como diz minha amiga Silvia Ribeiro.

Resolvi escrever esse artigo por muitos motivos, alguns que eu sei e são perceptíveis e outros que devem estar contidos naquilo que me fez perceber e apreciar a foto e os fatos.

Não quero reler, para não perder a espontaneidade.

Escrevo com um jarro de Jasmim na minha mesa de trabalho. Ao primeiro sinal do aroma que invadia a minha casa, dei a solicitação: Espalhem Jasmins por toda a casa!

Vivo agora vagando em uma nuvem de Jasmins.

Sem devaneios Claudia, e vamos aos fatos.

A fonte e inspiração desse artigo está em uma conversa de hoje entre amigas, em meio ao júbilo do casamento de uma de nós no dia anterior.

Um casamento que já existia, mas que foi confirmado “comme Il faut”, alianças, nomes gravados, bolo, flores brancas, família e fotos.

Entendo perfeitamente, adoro o ritual e o sinto necessário para todas as fases da vida.

Ela se casou, uma das minhas amigas mais românticas e dedicadas ao seu amor. Foi surpresa para a maioria de nós e as fotos se sucediam belíssimas naquela tarde e nada era comparável com o seu olhar e o seu sorriso que transbordavam de amor e realização.Lindos, emocionantes!

Gerou entre nós aquela onda de Felicidade, Esperança, Renovação, Amizade, Confirmação.

Extremamente emocionadas acompanhávamos uma história que é a história de todos nós.

Na altura de todos esses anos de minha vida, eu acredito que esse puro amor seja para poucos. Exige muita generosidade e empenho, ah ….e a paciência.

As mulheres, especialmente as mulheres, por mais antagônica que lhes pareça a minha afirmação, precisam ser mais razão e menos emoção para seguir com esse amor. Sentir é fácil, mas exercê-lo conjuntamente é uma prova árdua. Parece que de muitas maneiras e todo tempo, você precisa ensinar esse Amor aos seus parceiros que não podem adivinhar os seus anseios. Mais tarde eles vão aprendendo, quando a vida os tornar poetas.

Esse amor, do qual eu falo, pertence às mulheres.

E mesmo que quebrado, discutido, humilhado e subjugado, elas, não sei com que maneira divina, o conservam no seu coração, como um sentimento puro que existiu, existe e pode existir.

Ontem à noite depois das emoções festivas, assisti um filme heavy de Bergman, “Sonata de Outono” que não será objeto da crônica feliz, mas me chamou atenção a frase do narrador- ator:

– Eu a amo muito, mas não sei como falar para ela.

Essa introdução comprida e cumprida é para falar que no meio dessa conversa de amigas no WhatsApp, surgiu um presente de outra “amorosa de plantão” que colocou a foto desse bolo:

 

agapornis bolo

LOVE BIRDS, AGAPORNIS

 

– LOVE BIRDS, conhecem?

– Não…… conteee. (eu e essas vogais contínuas)

– Agapornis, nome grego que significa pássaro do amor. Diz a lenda que formam casais inseparáveis e quando um morre o outro nunca mais acasala. (amorosa e generosa de plantão)

– Que lindo, vou colocar na Agenda. (eu)

– Você já os viu? Eles são canários bem pequenos e ficam juntos grudados, dia e noite! ( amorosa e generosa de plantão)

– Os chineses sempre vendem ou vendiam pássaros de decoração aos pares. Sinal de Felicidade Conjugal. (eu)

– Quero ser uma pombinha dessas! ( a noiva no dia seguinte de suas bodas)

– Nunca os vi, mas vou pesquisar ou já vi com outras cores ( eu e depois dessa foto abaixo, percebi que jamais os vi, pena!!)

 

agapornis essa

– Se for esse, eu nunca vi (eu)

– Ai que lindos!!! ( três exclamações da noiva.) “O bolo era de chocolate, recheio de chocolate e flores brancas !!!! três exclamações” o entre aspas…isso sou eu que estou pensando.

– Aguaponis, I Love you! ( eu escrevendo errado o nome do pássaro)

– Vai para a Agenda já.

– Vou curtir! (a noiva)

– Agapornis ( eu me corrigindo)

– AGAPE-AMOR

ORNIS-PÁSSARO  (amorosa e generosa de plantão)

– Em alguns momentos farei uma pesquisa, ifa , está melhorando. (eu)

– Baci.  (amorosa de plantão)

– Que beleza….vai virar matéria para o site, há de  ficar eterno.

 

agapornis se beijando

 

Entretanto, resolvi que agora não vou pesquisar nada  sobre o Agapornis.

Para que?

Está tudo aí.

Claudia de Andrada Tostes Vinhaes Grosso

 

 

 

 

(Visited 254 times, 1 visits today)